terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Atendendo recomendação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MP/RN) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE) prefeito de Upanema-RN, Luiz Jairo Bezerra de Mendonça (PR), decide não realizar festa de carnaval financiada com dinheiro público. A determinação é uma medida preventiva para que os poucos recursos do município sejam utilizados nas áreas de vital importância para a população como saúde, agricultura, educação, assistência social, além de manter religiosamente em dia o pagamento da folha salarial dos servidores

O prefeito de Upanema-RN, Luiz Jairo Bezerra de Mendonça (PR), informou que não terá festa de carnaval em 2016 no município, financiada com dinheiro público. A decisão do chefe do executivo upanemense atende a uma recomendação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MP/RN) e Tribunal de Contas do Estado (TCE). A crise financeira, problemas no abastecimento de água e queda na arrecadação do Fundo de participação dos Municípios (FPM), são alguns dos motivos para que não se realiza festejo carnavalesco com recursos do erário. O prefeito Luiz Jairo Bezerra de Mendonça, entende que destinar recursos para carnaval dentro das atuais circunstâncias econômicas é uma irresponsabilidade. Aliás, ele tem senso de responsabilidade e é quem sabe melhor da vida de seu município. O prefeito queria muito realizar a festa, mas, nem tudo que se quer pode. Neste momento, o chefe do Executivo upanemense tem outras prioridades para uso dos poucos recursos do município, como nas áreas de saúde, agricultura, educação, assistência social, além de manter religiosamente em dia o pagamento do salário dos servidores. Somado a isso, estão os aumentos do salário mínimo e do piso do magistério que provocam forte impacto nas finanças municipais. A prefeitura de Upanema-RN, não vai realizar a festa, porém, vai contribuir para que os foliões possam ter uma diversão nesse período, dando total apoio logístico, como espaço para a realização de eventos, segurança, equipe de limpeza e funcionamento da estrutura de saúde pública. Em tempo: no âmbito estadual, o próprio governador do Rio Grande do Norte, Robinson Mesquita de Faria (PSD), já disse que não repassa R$ 1 centavo com finalidade de patrocínio ou apoio a eventos relacionados à folia de momo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.