terça-feira, 24 de junho de 2014

Pelo vil metal da marginalidade e da bandidagem a horda de blogueiros (apelidados de BOGUEiros) abrigados na bundosfera, em Upanema-RN, insistem no crime do anonimato, chafurdando na lavagem da pocilga. Os delinquentes num total de dois ou três gatos pingados, com odor de ratos e baratas vivem a querer perturbar a higiene alheia. Em nome da degeneração moral são capazes de vender a mãe, botar o filho na rifa (se é que tem filho) e emprestar a mulher. São canalhas e embusteiros da pior espécie

Delinquente contumaz, bandido safado. Esse rótulo define bem e, sem exceção, quem cria página imunda na internet, e repassa mensagem anônima, um crime sem dimensão. Em Upanema-RN, dois ou três gatos pingados, pilantras, salafrários, reincidentes em molecagens, praticam essa bandidagem sem limite, na tentativa de com seus odores de ratos e baratas perturbar a higiene alheia. É uma gangue desqualificada que cresce para baixo como rabo de cavalo. Nunca serão nada, além de mentirosos, trapaceiros, cafajestes, medíocres e marginais. Os lacaios, morcegos vampiros, vivem a chantagiar e a achincalhar as autoridades constituídas, principalmente, os que estão no poder, com o objetivo de praticar ladroagem e, talvez também, de se agarrar aos testículos, que é o que mais gostam. É uma raça asquerosa, nojenta, nauseabunda, da pior espécie, e do tipo que vende a mãe, bota o filho na rifa (se é que tem filho) e empresta a mulher. A corja abjeta prega o ódio a atual gestão pública municipal, notadamente, por não estar mamando criminosamente nas tetas do governo. Esses filhos de múmia que se dizem oposição  - só se for a puta que o pariu - devem voltar de onde vieram e de onde nunca deveriam ter saído que são as sarjetas e os esgotos de fossa estourada de beira de estrada. Torço para que os pulhas continuem a viver pelo vil metal da marginalidade.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.