sexta-feira, 5 de julho de 2013

"Voo da alegria" // O deputado federal Henrique Alves (PMDB-RN) gerente da Câmara Federal (Feirão da Bandidagem) usa avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para levar familiares, apaniguados, cupinchas, comparsas, mancebos e canastrões, ao jogo da seleção brasileira no Maracanã (Rio de Janeiro). Os "Alves" e os "Maia" no Rio Grande do Norte, se fossem pobres, seriam chamados de família de ladrões e saqueadores dos cofres públicos

O deputado federal Henrique Alves (PMDB-RN), representa tudo o que existe de atrasado na política do Estado do Rio Grande do Norte. O parlamentar, hoje presidente da Câmara dos Deputados (gerente do Feirão da Bandidagem) usou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), no último final de semana, para fazer turismo e assistir ao jogo da seleção no Maracanã- Rio de Janeiro. Abordo do avião da FAB, além de Henrique Alves, estava a noiva, o irmão, a mulher, os dois filhos, um amigo e um dos filhos do parlamentar. O "voo da alegria". O avião da FAB foi buscar a turma, composta por familiares, apaniguados, cupinchas, comparsas, mancebos e canastrões, em Natal-RN, no sábado para a final da Copa das Confederações no Rio de Janeiro e, retornou no domingo, às 23 h, apos o jogo para Natal-RN, levando o deputado e seus convidados. Esse Henrique Alves, é useiro e vezeiro em servir-se da pobreza, da ignorância e dos vícios sociais que envenenam o Rio Grande do Norte. Ele  sempre esteve durante os 42 anos de deputado metido na miserável embrulhada com o dinheiro público. Todo mundo que tem miolo na cabeça, sabe disso. Henrique Alves é um dos maiores pilantras do Estado norte-rio-grandense. Aliás, ele está em conluio com os "Maia", outra corriola de assaltantes dos cofres públicos. "Alves" e "Maia", no Estado do Rio Grande do Norte, se fossem pobres, seriam chamados de família de ladrões e saqueadores dos cofres públicos. Para confirmar, basta acessar o fichário (prontuário) político de Wilma Maia (ex-governadora), João Maia (deputado federal), José Agripino Maia (senador), Garibaldi Alves (ex-governador), Henrique Alves (deputado federal) e tantos outros "Alves" e "Maia". Aliás, todos eles deveriam viver mais num palco policial do que político. Em tempo: o deputado Henrique Alves, se fez o que fez com o que aparece, imaginem com o que não aparece. Em qualquer País minimamente civilizado do mundo, esse pilantra saqueador e torrador do dinheiro público seria extirpado da vida pública. Aqui, infelizmente, lamentavelmente, desgraçadamente é o País onde ser criminoso compensa. Ou "eu" Antonio Bezerra de Moura, aprendiz de jornalista, pobre mortal, estou errado?    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.