terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Rio Grande do Norte // É quase que inacreditável, mas, no Estado ainda tem gente que morre de fome por causa da subnutrição ou de nenhuma nutrição

Leio em um dos jornais mais conceituados e acreditados, que no Estado do Rio Grande do Norte, quase meio milhão de pessoas vivem em miséria extrema. No território norte-rio-grandense, diariamente, tem gente que morre de fome, por causa da subnutrição ou de nehuma nutrição. Tudo isso, reflexo da omissão das autoridades governamentais. Quanta falta de vergonha! As cestas básicas com produtos de qualidade suspeitosa que vez por outra se distribui, alimentam mais carreiras políticas do que os milhares dos pobres-diabos que vivem na indigência absoluta. As três refeições diárias prometidas por Luiz Inácio Lula da Silva (o descobridor do Brasil) continuam no anedotário. Políticos sérios ( difícil né?) deviam triplicar seus esforços para pelo menos diminuir essa situação nefanda, nefasta, funesta e cruel. João Paulo II dizia sempre: "O povo tem fome". O Estado potiguar é um pequeno retrato do Brasil miserável. O povo pobre tem a doença, a morte e as fraquezas rondando-lhe a porta. Em tempo: dizem que o mundo vai se acabar em 2012. Claro que a cada ano aparecem os profetas fajutos anunciando o fim deste planeta. Mas, se um dia ele se acabar, só espero que não nos inventem outra arca de Noé, pois corremos o perigo da sobrevivência de Wilma Maia, Lauro Maia, João Maia, Iberê Ferreira, Rogério Marinho, e tantos outros exemplos de malfeitorias humanas no Estado do Rio Grande do Norte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.