quinta-feira, 2 de junho de 2011

Ver um engravatado rico entrar numa penitenciária ainda é motivo de festa e comemoração no Brasil, onde a justiça é bem mais cega para os pobres

Eu, Antonio Bezerra, vibrei na semana que passou com a prisão do jornalista Pimenta Criminoso Neves, assassino perverso da ex-namorada, também, jornalista, Sandra Gomide, com dois tiros pelas costas. Falo assim, porque ver no Brasil um engravatado entrar numa penitenciária, ainda é motivo de comemoração. Onze anos depois esse canalha assassino, Pimenta Criminoso Neves, volta a uma cadeia de onde nunca deveria ter saido, mas, na época só passou sete meses. No País da marginalidade, da criminalidade, da violência e da impunidade, o bandido homicida confesso, Pimenta Criminoso Neves, mesmo condenado em juri popular, ainda assim passou mais de nove anos em liberdade, assobiando e livre como passarinho fora da gaiola. Realmente é inacreditável que somente 11 anos depois de ter assassinado sua ex-namorada, esse covarde, essa bactéria vá experimentar a dureza de uma prisão, isso se não conseguir um atestado médico que o remeta a um hospital onde a vida é bem mais mansa. Essa prisão de Pimenta Criminoso Neves, que tirou a vida com inaudita ferocidade de uma jovem jornalista, mostra exatamente, o lado feio de uma Lei que não funciona, de um sistema ultrapassado, de um código penal vencido, tudo isso concorrendo para a impunidade de quem rouba e mata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.