quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Ao apagar das luzes de seu governo, Lula da Silva (PT) permitiu que o terrorista, bandido e assassino confesso, Cesare Battisti, ficasse no Brasil

Ao apagar das luzes de seu governo, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), permitiu que o terrorista, bandido e assassino cruel, Cesare Battisti, permanecesse no Brasil. Uma decisão infeliz, desgraçada, desastrada, injustificável e deplorável de Lula da Silva. Com esse gesto asqueroso, nauseabundo, repugnante e repulsivo, Lula da Silva - o descobridor do Brasil - mostrou mais uma vez que é afeito a proteger bandido de alta periculosidade. Cesare Battisti, um ser abjeto nocivo à sociedade, deveria quando foi preso ter sido entregue ao governo italiano para pagar pelos crimes hediondos praticados em seu País. Ao acoitar no Brasil um criminoso italiano condenado pela participação em assassinatos bárbaros, praticados com requintes de crueldade, o ex-presidente - semi-Deus - Lula da Silva, envergonhou, emporcalhou, depravou e estuprou a democracia brasileira aos olhos do mundo. Em tempo: o ex-presidente tem uma capacidade tremenda de mudar de cara, de personalidade e de atitude. As bandeiras que antes de ser presidente empunhava nas ruas, a luta armada, a baderna que ajudou a promover e estimular no País, jogou tudo fora quando subiu a rampa do Palácio. Adotou imediatamente a política econômica dos inimigos. Praticou o capitalismo que antes achava odioso e até o assistencialismo escrachado, afora ter acolhido os mais perversos ladrões do dinheiro público. Tomará que Dilma Roussef (PT), não lembre de quando achava mais fácil mudar o Brasil com uma metralhadora do que com o voto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.