quinta-feira, 30 de julho de 2009

Ser Senador da República no Brasil é ir pro "Céu" sem morrer

O Senado da República é uma ilha de fantasia debochando dos milhões de brasileiros que vivem de salário mínimo, e tantos outros desempregados, na miséria absoluta. Cada senador tem direito a quatro passagens aéreas mensais, ida e volta, de Brasília ao Estado de origem do parlamentar. Tem direito também, a um carro zero quilômetro com motorista e 500 litros de combustível por mês, isso afora telefone de graça, moradia, assistência médica, auxílio palitó, cotas postais e dezenas de assessores no gabinete. Ser senador, na verdade, é ir pro céu sem morrer, porque a coisa é uma maravilha. Dizem que lá, senhoras e senhores, tem tapetes no teto, nas paredes e air vai. Se voçê pará pra pensar, o que é que vai faz o senado, obviamente, chegará a uma conclusão nefasta: nadica de nada. Tem senador lá em Brasília, que não tem visão de absolutamente nada, é só bodejando. Não sabe nem porque é que está lá. Não é que seja analfabeto, não. Aliás, existe gente que não sabe ler nem escrever, nunca foi a uma escola e armazena uma inteligência rara, que 10 senadores não têm. O que se vê em Brasília no senado, e também na câmara dos deputados é uma montanha de pilantragens. Se esse País fosse sério, a situação da grande maioria dos políticos - presidente, governador, senador, deputado, prefeito e vereador - era de barata em bico de pinto. E fim de papo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.